Terça-Feira
22 de Agosto de 2000

Colecionador de cachaça entra para o Guiness

José Moisés de Moura tem museu no município de Lagoa do Carro

Jailson da Paz
Da equipe do DIARIO

Pernambuco possui o maior acervo de diferentes tipos de cachaças do mundo. O reconhecimento internacional é do Guiness Book, que enviou na semana passada o certificado do recorde ao colecionador José Moisés de Moura, 48 anos. O título foi dado pelas 3.646 garrafas e litros que Moura possuía no ano passado, mas ontem a coleção já era de 3.992 unidades. Esse arsenal etílico pode ser visto no Museu da Cachaça, em Lagoa do Carro, município da Mata Norte.

E será preciso paciência para conhecer as relíquias guardadas por José Moura durante 15 anos. "São produtos de 24 estados brasileiros e de 20 países", disse o colecionador, que desde 1986 está ligado á história da bebida. O interesse o fez viajar por quase todo o Brasil, estimulando-o a participar dos maiores eventos sobre o assunto. Este ano já esteve em Minas Gerais e, no próximo mês, desembarca na cidade de Areia, na Paraíba.

"A coleção é uma verdadeira cachaça. Entrei nela e agora estou viciado", brincou Moura, que quase não toma bebidas alcóolicas. Quando decide virar uma dose, ele prefere uma caipirinha. Isso apenas em momentos especiais, como as festas de aniversário. E o título mundial parece ter embriagado os sonhos do pernambucano, que já pensa em superar seu próprio feito. "Imaginava superar as 3 mil peças, mas planejo ultrapassar as 4 mil até dezembro".

APOIO - Até agora o fundador do Museu da Cachaça tem recebido pouco apoio. Os patrocinadores colaboraram apenas para pequenas intervenções, a exemplo da montagem de pequenos cenários. Os 144 metros quadrados do imóvel, distante 600 metros do centro de Lagoa do Carro, foram construídos com recursos de José Moura. "Demorei quatro anos, mas não me arrependo do que fiz".

Tanto não se arrepende, que o recordista alçou novos vôos. Há cerca de três meses, sua criação pode ser vista na Internet pelo endereço www.museudacachaca.com.br. Mas para os adeptos de um bom trago, o melhor mesmo é ver tudo de perto e aproveitar a visita para tirar fotos no Banco do Ébrio, no Bar da Cabocla ou junto do boneco o Papudinho. O acesso diário à coleção sai pela pechincha de R$ 1,00, sempre de 9h às 17h. Crianças não pagam.

leia mais..
Mergulhando em um grande alambique